Clareamento dental ajuda a trazer de volta aquele sorriso branquinho

Fumar, tomar café ou açaí em excesso, usar alguns medicamentos e até falhar na escovação adequada pode levar ao escurecimento dos #dentes. Além disso, o desgaste natural do esmalte com a idade também leva a uma dentição menos branca.

Quem se olha no espelho e não gosta do que vê pode procurar o dentista para fazer um clareamento dental. Cada paciente responde de uma maneira ao tratamento, que pode ser aplicado de diferentes modos.

O percentual de branqueamento varia porque o que dá cor ao dente é a dentina, a parte do dente que fica sob o esmalte. Cada pessoa vai ter uma tonalidade de dentina diferente, entre amarelo e laranja, e é a espessura do esmalte (translúcido) que vai determinar a cor do sorriso.

O clareamento afeta a saturação da cor, mas não muda o tom natural do dente. Segundo especialistas, o efeito do #clareamento pode durar de dois a cinco anos.

Tipos de tratamento

Três fatos influenciam na escolha do tratamento: o histórico do paciente, a tonalidade dos dentes que serão clareados, e a expectativa do paciente. É o #dentista que vai avaliar cada caso e fazer a recomendação mais adequada.

O clareamento dental é feito utilizando um gel, que normalmente contém peróxido de hidrogênio ou de carbamida. A concentração e escolha das substâncias no produto, bem como a forma de aplicação variam com os diferentes tratamentos.

O tratamento feito em casa costuma ser o mais em conta. O gel contém peróxido de carbamida, o composto mais suave, e é aplicado pelo paciente na moldeira — molde maleável que se ajusta à arcada da pessoa. O dentista, além de fazer a moldeira e manipular a concentração do gel, acompanha periodicamente o andamento do procedimento.

Fotoativação ou laser

O tratamento no consultório pode ser feito utilizando luz LED, em um processo chamado fotoativação, ou usando laser. O laser tem custo mais alto, mas é mais rápido e eficaz do que a fotoativação. Há consultórios que não utilizam nenhuma das duas ativações, apenas o gel mais concentrado.

No consultório, o gel contém peróxido de hidrogênio, até três vezes mais potente do que o de carbamida. A concentração do composto no gel usado por profissionais também costuma ser mais alta.

Mas o gel mais concentrado só pode ser usado no consultório, porque exige proteção de mucosas, para evitar possíveis queimaduras. A aplicação também prevê mais cuidados, por isso o tratamento é feito sempre com o dentista, e não em casa.

Os resultados do clareamento feito no consultório aparecem mais rápido do que os do feito em casa. No consultório, após duas seções de uma hora cada, já se costuma observar resultados. O tratamento feito em casa leva em média três a quatro semanas para começar a aparecer.

É possível, ainda, combinar mais de um método de clareamento.

Geralmente os dentistas fazem fotos antes de iniciar o tratamento para que a pessoa possa acompanhar a evolução.

Cuidados

Durante o processo de clareamento, é preciso evitar alguns hábitos, como a ingestão de alimentos com excesso de corantes — sejam estes naturais ou artificiais. Café, chocolate, açaí, vinho tinto, cenoura e beterraba estão no topo dessa lista.

É recomendado, ainda, evitar evitar sucos cítricos e refrigerantes. Isso porque o gel deixa a pessoa um pouco susceptível à dor, e a acidez dessas bebidas pode aumentar a sensibilidade bucal.

Contraindicações

O tratamento não é recomendado para gestantes nem para pacientes que estão em tratamentos intensivos e/ou debilitantes. Quem está com cáries ou problemas em restaurações também deve resolver as questões antes de buscar o clareamento.

Os riscos de usar produtos comprados sem acompanhamento profissional incluem inflamação e sangramento nas gengivas. Em casos mais graves, pode haver morte do nervo dental (necrose), ulceração e fraturas nos dentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *