Treinamento funcional é opção para idosos: veja benefícios

Engana-se quem pensa que atividade física para a terceira idade se limita a curtas caminhadas ou algumas sessões de hidroginástica por semana. Hoje, com a expectativa de vida cada vez maior, práticas que combinam aeróbico e força, como o treinamento funcional, são fundamentais na rotina de idosas e idosos.

O treinamento funcional, como o nome já indica, tem como principal objetivo treinar o corpo para as funções básicas que executamos no dia a dia. Esse tipo de atividade ajuda a aprimorar a realização de movimentos e tarefas do cotidiano, como andar, correr, pular, abaixar-se, estender roupa, etc.

Funcional, fácil e cheio de benefícios

Por meio da prática, é possível melhorar capacidades que são naturalmente perdidas com o passar dos anos. Força, velocidade, resistência, equilíbrio e flexibilidade, por exemplo, podem ser recuperados por meio do treinamento funcional.

É por isso trazer de volta possibilidades que o tempo levou que o treinamento funcional se apresenta como uma boa opção para idosas e idosos. Os exercícios funcionais geralmente são fáceis de serem realizados e utilizam apenas o peso do próprio corpo ou acessórios como caneleira, bola e faixa.

Confira a seguir alguns dos benefícios que o treinamento funcional pode propiciar aos mais velhos.

1) Prevenção e tratamento de doenças

Ao unir práticas aeróbicas e de força, o treinamento funcional contribui com a saúde de idosas e idosos tanto na prevenção como no tratamento de doenças. Isso porque esse tipo de exercício é capaz de melhorar o sistema cardiorrespiratório, muscular e ósseo.

Quando realizado com a prévia liberação médica, o treinamento funcional ajuda a reabilitar o corpo às funções que exercia anos atrás. Com isso, problemas próprios da idade, como doenças coronarianas, hipertensão e osteoporose podem ser prevenidos – ou mesmo tratados, dependendo do grau de severidade.

2) Promoção da segurança e da autonomia

Idosos e idosas que praticam o treinamento funcional desenvolvem outra vantagem muito importante neste estágio da existência: uma vida mais saudável e menos propícia a quedas e lesões. Isso porque os exercícios funcionais promovem o fortalecimento muscular e das articulações, além de garantirem mais estabilidade corporal.
O resultado é uma maior segurança para a realização de tarefas do cotidiano, como tirar as compras do carro ou estender as roupas, por exemplo. Com isso, idosos e idosas conseguem recuperar sua autonomia e se sentem mais confiantes para realizar sozinhos(as) atividades que faziam parte da sua rotina, mas que foram sendo limitadas com o passar dos anos.

3) Diminuição das dores

Pessoas mais velhas que aderem ao treinamento funcional também começam a dar adeus às dores nas costas – outro sintoma que tende se acentuar com o passar dos anos. As dores vão embora devido ao fortalecimento da região que compreende os músculos da lombar, pélvis e quadril, o chamado core.

Além disso, outra vantagem é a postura que também é corrigida. Ou seja: um motivo a menos para ter dores.

4) Construção de novas relações interpessoais

Principalmente para quem já passou dos 60 anos e está aposentado(a), as atividades são ainda mais benéficas quando realizadas em grupos. O treinamento funcional geralmente é promovido de maneira coletiva, o que auxilia idosas e idosos a estabelecerem novas relações sociais.

A convivência com novas pessoas aumenta a autoestima. E isso sem falar em outros aspectos emocionais e psicológicos que podem apresentar melhora no relacionamento com o grupo.

Cuidados do treinamento funcional para idosos

Antes de iniciar qualquer atividade física, é imprescindível consultar seu médico ou sua médica para saber se há algum tipo de restrição. A orientação de um(a) profissional também é importante para saber a frequência e a intensidade do treinamento funcional que você pode praticar sem prejudicar a sua saúde.

É importante respeitar os seus limites e estar atento ou atenta a sintomas como tonturas, falta de ar, náuseas, dores ou inchaços nas articulações. Caso isso ocorra, é recomendado interromper o exercício e procurar sua(seu) médica(o).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *