O que faz um traumatologista? Saiba quando é hora de procurar o especialista

Sempre que há algum acidente de trânsito, as vítimas passam primeiro por um traumatologista. Isso corre porque o traumatologista é o médico responsável por cuidar de lesões ocasionadas por contusões, acidentes graves e, inclusive, batidas leves, como cair e machucar alguma parte do corpo.

Essas contusões são chamadas de traumatismo. O mais conhecido deles é o craniano, recorrente de acidentes ou lesões graves na área da cabeça.

Diferença entre ortopedia e traumatologia

No Brasil, traumatologia e ortopedia são uma única especialidade, pois estão ligadas a lesões em áreas ósseas e musculares. Ambos tratam os mesmos problemas, mas com algumas especificidades.

O traumatologista é quem trata contusões provocadas por algum agente externo, como em casos de quedas e acidente de trânsito.
Já o ortopedista é quem cuida de doenças crônicas e congênitas, como corrigir deformidades, restabelecer funções e aliviar dores.

“Ortopedia e Traumatologia formam uma única especialidade. A parte ortopédica nos capacita a resolver problemas crônicos, relacionado ou não a traumas, com objetivo de restaurar, ou pelo menos melhorar, a função da estrutura afetada. O lado da traumatologia é responsável por aliviar e estabilizar aquela lesão mais aguda, como o entorse durante o esporte ou a fratura em algum acidente mais grave. Juntas tornam o médico ortopedista e traumatologista o responsável pelas lesões e doenças osteomusculares, excetuando lesões da caixa torácica e cranianas. Lembrando que o tratamento de qualquer doença demanda uma abordagem multidisciplinar, sendo o ortopedista e traumatologista uma pequena parte de um conjunto de especialidades médicas e não-médicas, todas com objetivo de trazer alguma forma de alívio para os nossos pacientes.” Explica o ortopedista e Traumatologista, especialista em Joelhos, Dr. Bruno Pavei, de Criciúma. 

Quando devo procurar um traumatologista?

O traumatologista deve ser procurado em casos de urgência e emergência – isso ocorre naturalmente em casos de acidentes, como os de carro. Batidas e escorregões também podem configurar a necessidade de buscar o especialista.

Além disso, o horário com a(o) traumatologista deve ser marcado sempre que houver a suspeita de algum problema no sistema musculoesquelético. O principal sinal de problema é a dor, mas outros sintomas podem também indicar a necessidade da consulta. Essa lista inclui formigamentos, dormências, desvios posturais e alterações anatômicas.

Os sintomas podem ou não estar relacionados a algum acidente, leve ou grave. Por isso, muitas vez, uma pequena queda no banheiro, por exemplo, já é motivo para uma consulta.

Confira alguns sintomas pós-queda:

  • Dificuldade para se levantar;
  • Dificuldade para se mover;
  • Febre;
  • Ferimentos internos após a queda;
  • “Galos” quando há batida na cabeça.

Uma lesão não tratada pode ter consequências sérias, que inclusive pode deixar sequelas. Por isso, quando tiver algum sintoma, sofrer algum acidente ou tiver uma pequena queda,  procure um médico traumatologista.

Lesões mais frequentes

O traumatologista pode tratar os mais variados tipos de lesões. Entre as causas mais comuns estão:

  • Acidentes de trabalho;
  • Lesões devido à prática de esportes;
  • Acidentes de carro ou qualquer outro meio de transporte;
  • Qualquer choque com violência física
  • Acidentes domésticos.

Exames

Na primeira consulta, a(o) traumatologista faz um exame pericial, aquele realizado presencialmente no consultório. É nesta avaliação que especialistas conseguem apontar quais as lesões e em que parte do corpo estão localizadas.

Depois disso, são solicitados outros exames. Aqui, não é só o famoso raio-X que conta: as possibilidades incluem exame de imagem, ressonâncias computadorizadas e até eletroneuromiografia.

Os exames mais pedidos são:

  • Radiografia: serve para identificar quebras ósseas e doenças;
  • Tomografia computadorizada: mostra transversais internas do corpo;
  • Ressonância magnética: utilizada para confirmar tumores, lesões, fraturas;
  • Cintilografia: avalia o fluxo sanguíneo nas artérias que nutrem o músculo cardíaco;
  • Densitometria óssea: utilizada para descobrir a densidade mineral dos ossos.

Tratamento

O tratamento de traumatismo depende diretamente do tipo e da gravidade da lesão. É a(o) traumatologista quem vai definir o melhor curso de ação, após avaliar paciente e exames.

As opções incluem imobilização por gesso, sessão de fisioterapia e implantação de próteses. A cirurgia, claro, também entra nesta lista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *