Exagerou na bebida? Confira 4 dicas de como curar a ressaca

Têm noites que alongamos as festas e tomamos umas cervejinhas ou uns bons drinks a mais. No embalo da ocasião, acabamos perdendo a conta de quantas latas, taças ou garrafas bebemos a mais. Mas, pode ter certeza, o dia seguinte nos lembrará de cada uma.
Começa com aquele enjoo, passa para a dor de cabeça, e depois vem aquele cansaço que, sabemos, parece que nunca vai passar. É assim mesmo: a clássica ressaca, o efeito do álcool em excesso no nosso organismo.
Sabemos que todos têm seus próprios truques para aliviar a ressaca e tentar fingir que não se ultrapassou a cota de álcool na véspera. Separamos aqui algumas dicas essenciais, além de desmentirmos alguns dos mitos sobre como curar ressaca.

Afinal, por que temos ressaca?

É óbvio, a culpa é do álcool. Nosso corpo demora tanto para eliminá-lo que, durante esse período, temos mal-estar.
Para ser expulso, o álcool precisa ser transformado, no fígado, em ácido acético. Antes disso, porém, tem que ser transformado em acetaldeído.
Os sintomas da ressaca são causados justamente pelo acetaldeído, substância tóxica que atua em diversos órgãos. O fígado demora muito tempo para expurgar o excesso de álcool ingerido na véspera, mas enquanto isso o álcool e o acetaldeído continuam a circular no nosso organismo, causando a ressaca.

Como não ficar de ressaca

A dica principal é óbvia: não exagerar na bebida. Mas, ok, vamos a dicas mais úteis.
Antes de beber, você pode tomar uma colher de azeite de oliva extra virgem. Além disso, nunca beba de estômago vazio.
Entre cada copo de bebida, tome um copo de água. Outra opção é comer algo com gordura, como queijo. E, claro, também é possível combinar todas essas opções.

Como curar ressaca

Bom, depois que o excesso já veio, com ou sem os “preventivos” de água e comida, não tem mais jeito. É preciso, agora, dar um jeito de curar a ressaca. Veja alguns “combos” para contrabalancear os “combos” do dia da festa.

1) Banho-água-descanso

Banho, água e descanso. Essa tríade é realmente infalível. Sempre que os sintomas da ressaca aparecerem, se possível, comece por esses três elementos.
Como o álcool demora para se metabolizado, o ideal mesmo é tirar o dia para ficar de “preguicinha”. Fique deitada(o) na cama ou no sofá, quem sabe aproveite para colocar as séries em dia. O descanso ajuda na metabolização e ainda faz você sentir um pouco menos os sintomas.
A água – que já deveria ter sido tomada na noite anterior, mas tudo bem, acontece, sem julgamentos – é essencial. A bebida alcoólica desidrata. Afinal, depois da primeira ida ao banheiro, parece que não pára nunca mais, né? Então tome muita água.
Bebidas isotônicas também são boas apostas, pois contêm eletrólitos e podem ajudar na hidratação. Além disso, tomar suco de laranja, por exemplo, contribui. As frutas possuem sacarose, que ajuda a “queimar” o álcool mais depressa.
E, é claro, o banho. A água morna ajuda a relaxar e fará você se sentir melhor.
2) Não tome café
Você já fez isso muitas vezes, todos já fizemos, e, inclusive, indicamos para amigas e amigos. Mas o café não ajuda a curar ressaca, isso é apenas um mito.
O café é um estimulante. Lembra do “combo” na nossa primeira dica? Quando você está de ressaca precisa descansar, não se estimular.
O café vai potencializar o mal-estar e o desconforto. Claro, evite não só o café, como tente não tomar qualquer bebida estimulante.

3) Coma, mas pegue leve

Lembre-se, seu estômago está sensível. Você precisa comer, mas não dá para exagerar. Aposte em alimentos leves e ingira poucas quantidades. Respeite seu organismo.
Alho, cebola, gengibre, maçã, melão, pêssego, uva, tangerina, limão, pepino e tomate podem ajudar a diminuir a o mal-estar do dia seguinte. E uma boa notícia: o doce está liberado. A glicose ajuda o corpo a se recuperar.
Após uma bebedeira, o corpo libera muitos elementos essenciais, como a glicose. Por isso, o doce ameniza os sintomas, repondo o que o excesso de álcool levou embora.

4) Remédio para enjoo ou dor de cabeça

Você já tentou as outras dicas e ainda continua mal? Alguns remédios podem ajudar na recuperação.
Para enjoos fortes, aposte em antiemético. Para dor de cabeça, tome analgésico. Mas evite Aspirina, pois ela é pode fazer mal para o estômago que já está sensível.
Na verdade, isso vale também para muitos remédios. Alguns medicamentos acabam sobrecarregando ainda mais o estômago – e até o fígado. E adivinhe? O resultado não é bom para você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *