Piolho: e agora?

Coça, coça e coça e a criança não para de esfregar as mãos no couro cabeludo? Pode ser piolho. Mas não há motivos para se desesperar: a presença do inseto não indica falta de higiene.

O piolho, que é mais comum em crianças, tende a aparecer mais com o início do outono e nos dias mais frios. Isso porque, nas escolas, os pequenos ficam em salas fechadas, o que facilita a propagação do parasita.

Mas, afinal, o que é o piolho?

O piolho, cujo nome científico é Pediculus humanus capitis, é um inseto que se alimenta do sangue de humanos. Ele se reproduz com muita rapidez e é transmitido de uma pessoa para outra.

O inseto deposita seus ovos – chamados lêndeas – na base do couro cabeludo. As lêndeas ficam grudadas no cabelo e, muitas vezes, são confundidas com caspa.

Sintomas

Todo mundo que já foi criança, até quem nunca teve piolho, sabe que o principal sintoma da presença do parasita é a coceira. Ela é forte, constante e incomoda bastante.

Além disso, mães, pais e tutores devem estar atentas(os) à presença de pontos brancos no cabelo. A presença de lêndeas (ovos dos piolhos) em fios de cabelo é fácil de notar e um indício forte de que o inseto chegou na sua casa.
Outros sintomas de piolho são:

  • Vermelhidão no couro cabeludo
  • Feridas devido ao ato de coçar
  • E, em casos mais graves, podem surgir ínguas

Remédio contra piolho

O tratamento contra piolho é feito com xampu que contenha químicos para matar o inseto. Esses produtos podem ser comprados em farmácias.

Mas é importante, antes de comprar qualquer marca, consultar o pediatra ou dermatologista para saber qual o xampu mais adequado. A loção pode variar de acordo com a idade da criança.

Como usar o shampoo infantil contra piolho

Coloque o produto no cabelo da criança e deixe agir por cerca de 15 minutos. Durante esse período é essencial que a cabeça esteja protegida por alguma touca ou mesmo toalha. Isso porque os piolhos não conseguem “escapar” e acabam morrendo devido ao remédio.

Retire todo o xampu e passe pente-fino na cabeça da criança, para retirar lêndeas e o próprio inseto. Ambos estarão mortos. Repita o procedimento diariamente durante sete a dez dias.

Outras dicas para lidar com piolho

  • Misture duas colheres de sopa de vinagre em um litro de água e aplique nos cabelos antes de usar o pente fino. Como a mistura é ácida e ajuda a desgrudar dos fios de cabelo os piolhos e as lêndeas.
  • Cortar o cabelo não adianta muito, já que as lêndeas se instalam na raiz capilar e podem gerar uma reinfestação;
  • Quando o piolho já está resistente aos xampus, a pediatra ou o pediatra pode recomendar medicamentos de via oral. Não pule a consulta com o(a) médico infantil, pois a dosagem e o medicamento dependem do peso da criança.
  • Como o piolho pode viver até dois dias fora da cabeça, coloque roupas, toalhas e lençóis usados pela pessoa para lavar. Dá trabalho, mas do contrário o piolho pode voltar para a pessoa ou até ir para outro habitante da casa
  • Avise a escola que a criança está com o piolho, para que os demais pais sejam avisados e comecem a vistoriar a cabeça dos filhos. Em alguns casos, o colégio pode sugerir que a criança fique uns dias “de molho”, para evitar a contaminação de colegas

Para prevenir o piolho

Apesar de não ter como controlar a proliferação do piolho, algumas medidas ajudam a prevenir a o problema. Além disso, é possível identificar a presença do parasita ainda no início, o que facilita o tratamento.

  • Examine com frequência a cabeça das crianças;
  • Troque e lave com regularidade a roupa de uso pessoal e a de cama;
  • Ensine a criança a não compartilhar escovas de cabelo ou bonés com os colegas da escola.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *