Quais os sintomas e como eliminar pedra na vesícula

Como o próprio nome já diz, pedra na vesícula é o nome da condição caracterizada pela presença de pequenas pedras que se formam na vesícula biliar. A vesícula é um órgão em forma de “saco” localizado no lobo inferior direito do fígado.
Como fígado e vesícula biliar ficam no lado direito, a colelitíase – nome técnico da doença – é conhecida por provocar dores no lado direito do abdômen e, em alguns, casos febre. Mas especialistas ressaltam que em muitos casos é assintomática.

A bile

É na vesícula biliar que a bile, líquido produzido pelo fígado, se concentra. Após a alimentação, a vesícula se contrai, lançando a bile ao intestino, onde dá prosseguimento à digestão iniciada pelo estômago.
A bile é formada por água, sais biliares, bilirrubina, colesterol, eletrólitos e ácidos graxos. Mas nem sempre esses “ingredientes” ficam bem misturados, e pode ocorrer de alguns deles acabarem acumuladas.
A pedra na vesícula é formada, portanto, pela precipitação de algum dos componentes da bile, via de regra o “ingrediente” que está em maior quantidade. Em cerca de 75% dos casos, o colesterol é responsável pelo desenvolvimento das pedras.

Sintomas da pedra na vesícula

A maioria das pessoas que tem pedra na vesícula não sentem dores e desconfortos. Porém, em outros pacientes, a pedra provoca dor intensa no lado direito superior do abdômen que pode se irradia para a parte de cima da caixa torácica ou para as costelas.
Nos casos assintomáticos, normalmente, as pedras ficam alojadas na própria vesícula biliar – sem se mexer, elas não causam dores e podem ainda ser “destruídas” pelo próprio organismo. Outras, no entanto, ficam presas no duto biliar e bloqueiam o fluxo da bile para o intestino. É essa obstrução que provoca dor no abdômen ou nas costas.
Como a bile é liberada ao intestino após a refeição, a dor normalmente aparece meia hora após a ingestão de alimentos. Ela atinge um pico de intensidade e depois tende a diminuir. Em alguns casos, além da cólica, o paciente pode ter febre, náuseas, vômitos, mal-estar e dores de cabeça.

Causas da pedra na vesícula

O público mais afetado pela pedra na vesícula são mulheres entre 45 e 55 anos. Isso porque o desenvolvimento desses cálculos (pedras) pode ter relação com o uso de anticoncepcional oral, com a elevação do nível de estrogênio e ainda com o número de gestações.
Além disso, alguns fatores de risco podem alterar a composição da bile e facilitar a formação da pedra. Ou seja: pode fazer com que “sobrem ingredientes” na receita da bile.

  • Dieta rica em gorduras e carboidratos e pobre em fibras;
  • Sedentarismo, que eleva o LDL (mau colesterol) e diminui o HDL (bom colesterol);
  • Diabetes;
  • Obesidade;
  • Hipertensão (pressão alta);
  • Fumo;
  • Predisposição genética.

Como eliminar pedra na vesícula

Há dois tipos de tratamento para eliminar a pedra na vesícula, dependendo da formação das pedras. Caso as pedras na vesícula sejam constituídas apenas de colesterol, o tratamento pode ser feito com medicamentos que diluem o cálculo.
No entanto, quando formado por outras substâncias é preciso realizar a cirurgia por laparoscopia. O procedimento pouco invasivo e rápido, mas exige uso de anestesia geral. A boa notícia é que, em muitos casos, a(o) paciente é liberada(o) no mesmo dia.
Na laparoscopia são realizadas quatro pequenas incisões no abdômen. Em uma delas, médicos e médicas colocam uma câmera, e nas outras, os instrumentos cirúrgicos. Analisando as imagens em um monitor de vídeo, os(as) profissionais removem as pedras através de uma das incisões.

Dicas para evitar pedras na vesícula

Para evitar a formação de cálculos na vesícula, você pode tomar alguns cuidados:

  • Tenha uma dieta rica em fibras e com pouca gordura;
  • Restrinja os alimentos gordurosos, que podem elevar o nível do colesterol;
  • Procure manter o peso ideal para seu tipo físico;
  • Não fume.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *