Qual o horário ideal para as crianças tomarem sol sem prejudicar a saúde da pele?

O verão está chegando, e com ele vêm as férias e os finais de semana na praia ou na piscina. Quem mais se diverte nesse combo de água e areia são as crianças. Mas a diversão precisa vir com cuidado e atenção devido ao sol.

Se os adultos deixarem, as pequenas e os pequenos ficam brincando por horas ao ar livre: fazem castelos na areia, brincam com a bola, pulam ondas. Mas o excesso de sol e radiação podem causar lesões na pele infantil, prejudicando a saúde das crianças e aumentando o risco de doenças no futuro.

Tempo de sobra

“Sabendo usar, não vai faltar”, já diz o ditado. E ele vale para o tempo que as crianças têm para curtir a estação mais quente do ano.
Especialistas indicam horários específicos para as crianças ficarem ao ar livre no verão. Também dão algumas dicas de como se proteger para poder brincar sem ter que sofrer com queimaduras e vermelhidão.

Os raios solares mais saudáveis aparecem antes das 10 horas e depois das 16 horas, ou  antes das 11 horas e após às 17 horas em locais que aderem ao horário de verão. Nesse período, há menor radiação UVB – responsável pelas queimaduras provocadas pelo sol e principal fator de risco para o desenvolvimento de câncer de pele.

Proteção e filtro solar nas crianças

O primeiro cuidado para manter a criança protegida é o uso de protetor solar. A primeira aplicação deve ser aplicado 30 minutos antes da exposição ao sol.

E não adianta passar só no início do dia, viu? É preciso reforçar a aplicação a cada duas horas ou após o mergulho na água. Em caso de suor excessivo, passe de novo. Além disso, o filtro solar deve ser no mínimo FPS 30.

Sobre o uso de protetor solar em bebês, as recomendações são:

  • Bebês de até 6 meses não podem utilizar filtro solar;
  • Bebês de até 6 meses devem ficar protegidos à sombra;
  • Bebês com mais de 6 meses podem utilizar filtro solar, preferencialmente os infantis, algumas vezes também vendidos com as indicações “kids” ou “baby”.
  • Bebês e crianças não devem ser expostos ao sol entre 10 horas e 16 horas;

Roupas também contam

Outra dica de especialistas é o uso de chapéus e bonés, para proteger a cabeça das pequenas e dos pequenos. Vale lembrar que o cabelo infantil tende a ser mais fino do que o de adultos.

Outra recomendação é usar roupas de algodão, que bloqueiam a maior parte da radiação UV. De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, tecidos sintéticos, como o nylon, bloqueiam apenas 30%.

Guarda-sol, barraca e óculos escuros

A recomendação do tecido de algodão também serve para o guarda-sol ou a barraca de praia. Os acessórios também podem ser feitos de lona, que como o algodão absorve 50% da radiação UV.

Também de extrema importância é o uso dos óculos de sol ou óculos escuros. Eles ajudam a prevenir contra catarata e outras lesões nos olhos. E, além de conferir proteção, ficam uma graça nas crianças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *