Tire suas dúvidas sobre a pílula do dia seguinte

Apesar de estar no mercado há quase 20 anos, a pílula do dia seguinte ainda causa dúvidas nas pacientes. Em meu consultório recebo muitas questões, entre elas, sobre a utilização e eficácia do medicamento.

Abaixo confira algumas questões mais recorrentes:

A pílula do dia seguinte é abortiva?

Não! O objetivo do medicamento é bloquear a ovulação, dificultando a gravidez. Caso a mulher não esteja ovulando, a pílula vai impedir ou retardar a liberação do óvulo.

Quando a pílula do dia seguinte é indicada?

A pílula do dia seguinte é um método de emergência e deve ser usada em casos de sexo protegido mas com acidentes (como furar o preservativo) ou sexo desprotegido.

E como utilizá-la?

A mulher tem indicação para tomar a pílula até 72 horas após a relação, porém a eficácia do medicamento é maior se for absorvido nas primeiras 24 horas após a relação.

Quantas vezes posso tomar?

A recomendação é que seu uso NÃO seja corriqueiro, pois conforme o uso contínuo o medicamento perde a eficácia. Além disso, a pílula do dia seguinte tem alta dose de hormônios, e sua administração deve ser cautelosa.

Esse conteúdo foi criado originalmente para a Dra Joana Barata, médica ginecologista e obstetra na Clínica Unitta, em São Joaquim/RS. Clique aqui e saiba mais.

As informações disponíveis neste site possuem apenas caráter educativo. Apenas uma avaliação com um profissional médico possibilitará o diagnóstico de doenças, a indicação de tratamentos e a prescrição de medicamentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.