Depressão será a doença mais incapacitante até 2020; veja os sintomas

Celebrado nesta quarta-feira, o Dia Internacional da Saúde Mental alerta para o elevado número de casos envolvendo esses transtornos. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 300 milhões de pessoas têm depressão no mundo. O número de casos cresceu 18% em dez anos.
Até 2020, a depressão será a doença mais incapacitante do planeta. A enfermidade é caracterizada pela tristeza constante, falta de interesse, de vontade, de ânimo, além da ausência de prazeres e oscilações de humor que podem, muitas vezes, culminar em pensamentos suicidas.
Os sintomas impossibilitam que o paciente realize atividades do dia a dia consideradas simples, como trabalhar, estudar, passear, sair com os amigos. Ou seja, a depressão vira a vida da pessoa do avesso: quem está doente deixa de produzir e tem vida pessoal e profissional prejudicadas.
No Brasil, 6% da população, um total de 11,5 milhões de pessoas, sofrem com depressão. O país é o que mais tem casos em toda a América Latina.

Sintomas

Os sintomas da depressão formam uma longa lista, e são muitas vezes ignorados como “passageiros” ou, pior, como se faltasse vontade ao doente para “ficar bem”. O ideal é procurar um profissional de saúde mental para identificar o que os indícios apontam.

  • Alto grau de pessimismo
  • Ansiedade
  • Angústia
  • Apatia
  • Dificuldade de concentração
  • Não ter vontade de fazer atividades que antes davam prazer
  • Medos que antes não existiam
  • Perda ou aumento de apetite
  • Indecisão
  • Insegurança
  • Insônia
  • Irritabilidade
  • Raciocínio mais lento
  • Sensação de vazio

Além desses, os sintomas também podem ser físicos. Nesses casos, são impulsionados pelos psicológicos e não têm outras causas.

  • Dores de barriga
  • Má digestão
  • Azia
  • Tensão na nuca e nos ombros
  • Dores de cabeça
  • Dores no corpo, inclusive dormências nos braços
  • Pressão no peito
  • Frio

Ansiedade

Além da depressão, casos de ansiedade e síndrome do pânico também têm números elevados e preocupam a sociedade médica. Em 2015, eram 18,6 milhões de pessoas com transtornos de ansiedade no Brasil.
A ansiedade causa preocupação e medo extremos que impedem a pessoa de realizar atividades simples. Além disso, há sintomas físicos – como aceleração de batimentos cardíacos, dilatação dos brônquios (deixando a respiração rápida e ofegante), dores no corpo e no peito e náuseas.
O Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais elenca 12 tipos de sintomas relacionadas à ansiedade.

  • Sentir medo ou receio em excesso de situações que não aconteceram
  • Alterações no sono
  • Tensão muscular
  • Medo de falar em público
  • Medo de lugares fechados ou de grande aglomerações
  • Inquietações
  • Pensamentos obsessivos
  • Comportamentos compulsivos

Estudos mostram, ainda, que há relação entre ansiedade e depressão. Dos casos de ansiedade, 24% se tornam depressão. Por isso, é importante o tratamento junto com psicólogos e psiquiatras para evitar o desenvolvimento de mais uma doença.
A explicação para um transtorno desencadear o outro é que os pensamentos negativos do ansioso podem ser gatilhos para a depressão. Além disso, para evitar o medo, pessoas com ansiedade acabam não saindo de casa e vivem mais isoladas.
O ideal é buscar um especialista o mais rápido possível. A terapia é uma oportunidade de falar sobre os problemas, entender o que causa ansiedade e depressão, a origem das doenças e, então, combatê-las. E o melhor: sem nenhum julgamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *