Para que serve o apêndice? Conheça o órgão e reconheça os sintomas de apendicite

O apêndice leva a fama de não ter serventia para o organismo e só causar incômodo. Isso porque o órgão é mais conhecido por causa dos transtornos da apendicite, ou seja, a inflamação do apêndice.

Mas, ao contrário do que se pensa, nem sempre o órgão é “culpado” da inflação que lhe acomete. Aliás, o apêndice na verdade nem é não tão “inútil” quanto parece.

O que é o apêndice

Localizado na primeira parte do intestino grosso, o apêndice tem formato parecido com o dedo de uma luva. Até pouco tempo, acreditava-se que ele fora perdendo sua função com a evolução do ser humano.

No entanto, recentemente, microbiólogos australianos e franceses descobriram que na verdade o apêndice tem um papel importante para o sistema imunológico. Segundo a pesquisa de 2015, o órgão possui uma grande reserva de células linfóides que protegem contra infecções bacterianas e ajudam a povoar o sistema digestivo de bactérias “boas”.

Apendicite

Quando esses linfócitos se multiplicam devido a uma eventual infecção – não necessariamente no apêndice -, aumentam as chances de obstrução do órgão com restos fecais ou gordura. Essa condição resulta na inflamação do apêndice, denominada apendicite.

A doença pode acometer pessoas de todas as idades, mas é mais frequente em pacientes entre 20 e 30 anos. A condição pode ser extremamente grave e até levar à morte se não tratada a tempo. Por isso é preciso ficar atento aos sinais e procurar ajuda médica imediatamente, caso os sintomas persistam.

Dor abdominal é sinal de alerta

A principal evidência da inflamação do apêndice é a dor abdominal que aparece no lado direito da barriga, na região próxima ao umbigo. Geralmente essa dor costuma ser bem pontual e contínua, fraca no início, mas que vai aumentando com o passar das horas.

Em um estágio mais avançado do quadro clínico, a sensação de dor se torna quase insuportável ao tocar o ponto dolorido. Neste caso, portanto, já é fundamental procurar um(a) gastroenterologista com urgência.

Sintomas da apendicite

A dor abdominal costuma vir acompanhada de outros sintomas da apendicite. Esses sinais de alerta indicam que é hora de buscar atendimento médico.

Falta de apetite

Como a infecção do apêndice afeta todo o sistema digestivo, é comum que a(o) paciente não sinta fome. A falta de apetite de forma isolada não significa muito, mas pode ser uma evidência para a apendicite quando ela vem acompanhada de outros sintomas típicos.

Febre

Por se tratar de um quadro infeccioso, quem está com apendicite também costuma apresentar febre moderada e persistente, geralmente entre 37,5°C e 38°C.

Náuseas

As náuseas, acompanhadas ou não de vômitos, também podem aparecer logo nas primeiras horas em pacientes com quadro de apendicite. Mas isso varia de pessoa para pessoa, ou seja, mesmo sem esse sintoma a condição ainda pode existir.

Barriga inchada

O enrijecimento das paredes do intestino, acompanhado de flatulência, indigestão, diarreia ou constipação são outros sinais que costumam aparecer na apendicite. Com a evolução do quadro, principalmente, são sinais que tendem a se intensificar.

Diagnóstico

A(o) gastroenterologista leva em conta o relato dos sintomas e faz exame de físico na região dolorida. Também pode pedir exames de sangue e de urina, importantes para detectar a infecção.

O diagnóstico da apendicite pode, ainda, exigir exames de imagem, como ultrassom e tomografia. Isso porque o problema tem sintomas em comum com outras condições.

A apendicite pode, por exemplo, ser confundida com pedra nos rins, doença que também causa dor no lado direito do abdome, porém acima da região do apêndice. Nas mulheres, inflamações das tubas uterinas, do útero ou dos ovários também provocam dor no mesmo local da apendicite, então o diagnóstico precisa eliminar avaliar essas outras possibilidades.

É importante que o diagnóstico seja feito o mais rápido possível para evitar complicações graves como a perfuração do apêndice e a inflamação da cavidade abdominal. Por isso, caso o quadro de infecção se confirme, o paciente é encaminhado imediatamente para cirurgia, já que o único tratamento para esse caso é a remoção cirúrgica do órgão.