Você sabe quando vacinar seu pet? Confira como manter a carteira de vacinação do seu bichinho em dia

Assim como nós, humanos, os cachorros e gatos também precisam de vacinas para se manterem saudáveis. Manter a carteira de vacinação do seu bichinho de estimação em dia é a principal forma de protegê-lo contra doenças infecciosas e contagiosas que podem até ser fatais. Mas você sabe quando deve vacinar seu pet?

A vacinação dos gatos e cachorros já nas primeiras semanas de vida é essencial. Embora a amamentação seja eficiente contra infecções, ela não é suficiente para deixar o pet totalmente protegido, principalmente quando ele começa a ter contato com o exterior. Por isso, é indispensável que os filhotes recebam o primeiro ciclo de vacinação entre 6 e 16 semanas de vida.

Ciclo de vacinação dos cachorros

O primeiro ciclo de vacinação dos cachorros deve iniciar aos 45 dias de vida do animal com a polivante. Ela é uma das vacinas mais essenciais aos cães pois imuniza contra doenças infectocontagiosas como a cinomose, hepatite infecciosa canina, parvovirose, leptospirose, adenovirose e a parainfluenza canina.

Com 12 semanas, o animal deve retornar ao consultório veterinário para receber a segunda dose da polivante e mais duas vacinas: a da gripe canina e da giárdia. Já com 16 semanas, é dada a 3ª dose da polivante, reforçada a da gripe e da giárdia e aplicada a da raiva.

Ciclo de vacinação dos gatos

Já os gatos devem ser vacinados pela primeira vez entre os 50 e 60 dias de vida, quando recebem a vacina quádrupla (também chamada de V4). Ela protege contra as doenças: rinotraqueite, calicivirose, panleucopenia e clamidiose. 

Trinta dia após a primeira dose, perto dos 90 dias de vida do bichinho, deve ser aplicada a segunda dose da quádrupla. Já com quatro meses de idade, o animal recebe a terceira dose junto com a vacina antirrábica.

Reforço

Vacinar os pets apenas nas primeiras semanas de vida não basta. Para que eles continuem protegidos contra doenças pelo resto da vida, é necessário reforçar as doses anualmente. No Brasil, ainda não existe um calendário oficial de vacinação para cachorros e gatos, apenas campanhas específica para a vacina da raiva – que é obrigatória para ambos.

Por isso é essencial ter consultas frequentes com o(a) médico(a)  veterinário(a), que deverá realizar exames para verificar a necessidade de imunização e orientar sobre todas as etapas e vacinas necessárias.

Riscos de não vacinar

Quando o animal não é vacinado, ele fica suscetível a doenças que podem ser fatais como raiva, cinomose e leptospirose. Além de trazer riscos também aos donos, já que algumas doenças como raiva, giárdia e a leishmaniose, são zoonóticas (passam do animal para o homem).

Manter com a caderneta de vacinação do pet em dia é importante também para deixar o bichinho livre de doenças de pele, câncer e até desordens gastrointestinais. Além da  imunização anual do animal, uma dieta alimentar própria e balanceada e vermifugação adequada são outras formas de garantir a saúde do seu bichinho.