Zinco estimula imunidade de grávidas com Chagas e protege o bebê

O uso de suplementos de zinco por grávidas com doença de Chagas protege o bebê e diminui as chances de contato do feto com a doença. O dado é de uma pesquisa inédita da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP) da Universidade de São Paulo (USP).
A ação imunoprotetora do mineral melhora a resposta imunológica da mãe ao mesmo tempo em que ameniza a inflamação característica da infecção pelo Trypanosoma cruzi. Segundo os pesquisadores, o zinco atua de duas formas: na regulação do sistema imunológico da mãe durante a gravidez e na fase crônica da doença de Chagas.
“A gestação constitui-se de situação imunológica única, pois muitas variáveis fisiológicas são alteradas para garantir o sucesso da gestação”, explica a pesquisadora Cássia Mariana Bronzon da Costa, em entrevista ao Jornal da USP. O principal desafio do estudo foi entender – através de pesquisas em animais – como que se dava a relação zinco e a imunidade da gestante.
Costa destaca que os resultados são muito importantes por terem mostrado a transmissão do mal de Chagas de mãe para filho. A pesquisadora acrescenta, ainda, que o estudo evidenciou o papel do zinco como um elemento regulador da imunidade materna.

Tratamento

Apesar de a doença de Chagas ser conhecida há mais de cem anos, o tratamento ainda é limitado. Apenas dois medicamentos são utilizados no combate à doença: Nifurtimox e Benzonidazol.
No Brasil, apenas o Benzonidazol é permitido. Contudo, o medicamento pode levar à má-formação do feto e por isso não é indicado durante a gravidez.
A droga pode curar de 70% a 80% dos casos em que a doença está em estágio avançado e 20% dos casos recentes ou crônicos, mas com um longo tratamento: 60 dias. Além disso, o medicamento causa reações tóxicas e obriga 10% dos pacientes a interromper o tratamento.

Doença de Chagas

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a doença de Chagas atinge 8 milhões de pessoas em todo o mundo. São 12 mil mortes por ano provocadas pela enfermidade.
A doença de Chagas, inflamação causada pelo protozoário Trypanosoma cruzi, é transmitida pelo mosquito barbeiro. A contaminação também pode ocorrer através da ingestão de alimentos crus e contaminados com fezes do parasita. Transfusão de sangue ou transplantes de órgãos contaminados, contato direto com o parasita e com outros animais infectados também são formas de transmissão.

Sintomas de Chagas

Na fase aguda da doença, os principais sintomas são febre, mal-estar, inchaço do olho, vermelhidão no local da picada do inseto, cansaço e irritação na pele. Além disso, os indícios incluem dores no corpo e de cabeça, náusea, diarreia, vômito, nódulos e aumento do tamanho do fígado e do baço.
Especialistas alertam que esses sintomas podem ser moderados. Por isso, é importante procurar atendimento médico em casos de suspeita da doença.

Diagnóstico

O diagnóstico para a doença de Chagas pode ser dado através do exame físico, combinado com o histórico médico do paciente. Contudo, para saber o estágio da doença é preciso realizar exames como eletrocardiograma, ecocardiograma, endoscopia superior e raio-x do tórax e do abdômen.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *